COLÉGIO NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS
Educar e Vencer

Considerando a importância do contexto histórico
referente às doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti,
a aluna Lavína Ribeiro elaborou um texto contemplando esta realidade no Brasil.

 
Lavínia Ribeiro Sousa,
aluna do 3º Ano,
Ensino Médio







Há muito tempo, o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, vem causando preocupação no Brasil. A chicungunha e a zika, doenças já conhecidas no continente africano, também têm esse organismo como vetor, agora presentes aqui também. O que a população, em parceria com o governo, pode fazer para reverter esse quadro?

No verão, a frequência de chuvas é maior, fazendo com que o número de focos de água parada aumente. Esses acúmulos são lugares de maturação dos ovos do mosquito. Com a crise hídrica no Sudeste e a consequente construção de reservatórios, a espécie se alastrou ainda mais, causando uma epidemia de dengue. Já em relação à chincungunha e à zika, que provavelmente chegaram ao Brasil na Copa do Mundo de 2014, vê-se o aumento dos casos dessas doenças, com destaque para a possibilidade de que mães infectadas com o zika vírus transmitam-no para os filhos durante a gestação, causando microcefalia.

Mais de 1,5 milhão de pessoas foram afetadas pelo Aedes aegypti no Brasil em 2015, fazendo com que o governo investisse em campanhas de prevenção e que instituições de pesquisa e ensino superior desenvolvessem machos estéreis, que ao se acasalarem com fêmeas, gerarão ovos inférteis, ou seja, que não irão se tornar larvas, diminuindo o número de seres transmissores. Além das perdas imensuráveis que são as vidas de milhares de vítimas, o inseto causa enormes prejuízos à economia do país, no quesito da publicidade para o combate, dos agentes de saúde que andam nas ruas e das despesas nos hospitais públicos.

A gravidade do problema assusta. É preciso que os mosquitos machos continuem recebendo radiação, e que as campanhas publicitárias permaneçam informando a população. Dessa maneira, a saúde do brasileiro em relação à dengue, chicungunha e zika pode ser garantida, proporcionando aos cidadãos melhor qualidade de vida.

Ir para o topo
Educacional
Social

CONGREGAÇÃO DAS IRMÃS DOS POBRES DE SANTA CATARINA DE SENA

Colégio Sagrado Coração de Jesus (PI)
Colégio Santa Catarina de Sena (PA)
Colégio Nossa Senhora das Graças (PI)
Colégio Nossa Senhora do Ó (PA)
Colégio Nossa Senhora da Conceição (PB)
Colégio Santa Catarina (PE)
Colégio Savina Petrilli (PE)
Colégio de São José (AL)
Escola Santa Teresinha (CE)
Escola Ir. Maria Catarina Levrini (PI)
Escola Santa Inês (PI)
Centro Educacional Menino Jesus (PI)
Centro Educacional Ir. Abelinda Ducci (PI)
Centro Educacional Madre Savina (PI)
Instituto Madre Savina (BA)

Cultura e Espiritualidade

Centro de Formação Memorare (PI)
Centro de Cultura Santa Catarina (PI)
Emaús (PI)
Centro Social Dom Avelar (PI)
Centro de Apoio ao Idoso Santa Catarina de Sena (PI)
Lar da Providência Carneiro da Cunha (PB)
Lar Nossa Senhora de Fátima (CE)
Casa Maria Menina (PI)
Casa Savina Petrilli (PI)
Programa de Atenção Básica à Família - PABF
Programa de Apoio à Criança e Assistência à Família
© ANBEAS - Colégio Nossa Senhora das Graças - Todos os direitos reservados Praça Santo Antônio, 802 - Centro - Parnaíba-PI - Fone: (86) 3322-2750