COLÉGIO NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS
Educar e Vencer
Atividade dos alunos do 2º e 3º ano - Produção Textual
Em: 27/06/2018
 

As turmas do 2º e do 3º ano do Ensino Médio do CNSG, para culminar todo o trabalho de leitura, reflexão e escrita do primeiro semestre de 2018 realizaram uma atividade na disciplina de Produção de Texto.

Com apresentações ricas de informação e argumentação (destacando vocabulário e expressividade), os alunos, atendendo às propostas dos documentos da LDBs e dos PCNs (fala, leitura, escuta e escrita) e já atendendo às novas exigências da BNCC (Base Nacional Comum Curricular), executaram uma atividade de aula invertida ao apresentarem diversas temáticas com abordagens do ENEM.

Cada turma, separada em grupos, utilizou o espaço do auditório para apresentar os conteúdos estudados. E nessa oportunidade pôde-se observar o desempenho individual do aluno, sua desenvoltura, nível de compreensão, poder de argumentação e posicionamento diante das questões sociais.

Parabéns a todos pelo compromisso; pela contribuição na aquisição da turma para maior conhecimento e pela sensibilidade na forma humana de apresentar os problemas sociais.



Diante de tantos textos bem articulados, que expressam as habilidades trabalhadas em sala e se somam às competências dos alunos, apresentaremos duas redações: 2º e 3º ano, respectivamente, que darão início a uma sequência de textos que serão mostrados mensalmente neste espaço até o ENEM.

TEMA: A velocidade das informações pouco tem contribuído para deixar o homem mais feliz e preparado para os enfrentamentos do seu tempo.

No século XIX, o movimento do Ultrarromantismo ficou conhecido como "mal do século" por seu demasiado exagero. Hoje, devido a avanços tecnológicos, o mal encontra-se no excesso de informação que chega a todo instante aos indivíduos, que não sabem o que fazer ou como assimilar tudo o que é veiculado.

Com a Revolução Técnico-Científica, os meios de comunicação tornaram-se mais eficientes, permitindo o acesso quase instantâneo às informações globais e a formação de um sistema-mundo. O ser humano deveria ser, portanto, bem informado e compreender o mundo ao seu redor. No entanto, esse bombardeio de notícias não permite a formação crítica do indivíduo e forma uma sociedade alienada na medida em que há tempo para ver, mas não para pensar.

Diante disso, os indivíduos são facilmente manipulados de maneira imperceptível, criando uma sensação de insegurança descrita pelo sociólogo Zygmunt Bruman em sua obra "Medo líquido", como consequência do desconhecimento sobre onde está o verdadeiro perigo. Atrelado a isso, encontra-se a possibilidade de desenvolvimento de problemas psicológicos, tais como a Síndrome de Burnout, caracterizada pelo esgotamento mental e a depressão, fruto da aceleração do fluxo informacional.

Outrossim, entende-se que os avanços tecnológicos facilitaram a vida da sociedade, em contrapartida, o excesso de informação tem fomentado problemas. Logo, é preciso que a mídia oriente a distinção entre o útil e o desnecessário por meio de campanhas e programas educativos. A escola, por sua vez, deve promover a formação crítica dos indivíduos por meio de projetos e debates em sala de aula. Assim, poderá ser possível a superação deste mal que assola este século.

Juliana de Castro Vilanova (2º Ano - Ensino Médio)

 

TEMA: O preconceito linguístico

Estudos profundos acerca da molécula de DNA revelaram que as sequências gênicas configuram-se como as únicas diferenças entre os indivíduos. No entanto, sob a perspectiva social brasileira, haja vista as várias faces da intolerância, em especial o preconceito linguístico, percebe-se o não entendimento de tal semelhança pelo ser humano. Nesse viés, tanto a lenta mudança de mentalidade da população, quanto a ausência de medidas governamentais eficazes colaboram para a persistência do problema.

Em primeira análise, é válido ressaltar o enraizamento da sensação de superioridade cultural no Brasil. Isso porque a forma de colonização do país valorizou os costumes linguísticos dos estrangeiros em detrimento dos diversos dialetos nativos. Com efeito, a herança desses fatos apresenta-se na hodiernidade por meio do menosprezo e do desrespeito sofridos por falantes de gírias, sotaques e idiomas advindos, principalmente de áreas marginalizadas e regiões empobrecidas, a exemplo da zona rural e do Nordeste. Assim, medidas de longo prazo são necessárias a fim de descristalizar tal embróglio.

Outrossim, a ausência da participação midiática quanto à cientificação populacional torna atitudes desse cunho invisíveis, além de emudecer aqueles que sofrem com elas. Ademais, a inexistência de órgãos e leis específicas contra o preconceito da língua e a xenofobia demonstra a omissão do Estado no que tange à problemática, uma vez que, conforme o ideário Aristotélico, a política deve agir com o desiderato de assegurar a harmonia na sociedade. Desse modo, é fulcral o cumprimento do preceito iluminista: um engajamento sociopolítico possibilita um mundo melhor.

Diante disso, entende-se que, para mitigar um impasse histórico-cultural, faz-se necessário um comprometimento coletivo. Cabe, pois, ao Ministério da Educação promover o desenraizamento de valores provectos, em parceria com a família, por meio do ensino linguista do Português, enfatizando a variação geográfica mediante a leitura de obras de outras regiões, com o fito de formar cidadãos respeitosos. Além disso, urge ao Poder Legislativo a criação de leis especializadas em práticas xenofóbicas, sobretudo em áreas de suas maiores incidências, objetivando punir os intolerantes. Dessa forma, o Brasil caminhará para a garantia da equidade pressuposta pelo DNA.

Ana Catarina Rebouças Marques (3º Ano - Ensino Médio)

 
Ir para o topo
Educacional
Social

CONGREGAÇÃO DAS IRMÃS DOS POBRES DE SANTA CATARINA DE SENA

Colégio Sagrado Coração de Jesus (PI)
Colégio Santa Catarina de Sena (PA)
Colégio Nossa Senhora das Graças (PI)
Colégio Nossa Senhora do Ó (PA)
Colégio Nossa Senhora da Conceição (PB)
Colégio Santa Catarina (PE)
Colégio Savina Petrilli (PE)
Colégio de São José (AL)
Escola Santa Teresinha (CE)
Escola Ir. Maria Catarina Levrini (PI)
Escola Santa Inês (PI)
Centro Educacional Menino Jesus (PI)
Centro Educacional Ir. Abelinda Ducci (PI)
Centro Educacional Madre Savina (PI)
Instituto Madre Savina (BA)

Cultura e Espiritualidade

Centro de Formação Memorare (PI)
Centro de Cultura Santa Catarina (PI)
Emaús (PI)
Centro Social Dom Avelar (PI)
Centro de Apoio ao Idoso Santa Catarina de Sena (PI)
Lar da Providência Carneiro da Cunha (PB)
Lar Nossa Senhora de Fátima (CE)
Casa Maria Menina (PI)
Casa Savina Petrilli (PI)
Programa de Atenção Básica à Família - PABF
Programa de Apoio à Criança e Assistência à Família
© ANBEAS - Colégio Nossa Senhora das Graças - Todos os direitos reservados Praça Santo Antônio, 802 - Centro - Parnaíba-PI - Fone: (86) 3322-2750